quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Mario Quintana

"DA FELICIDADE

Quantas vezes a gente, em busca da ventura,
Procede tal e qual a avozinho infeliz:
Em vão, por toda, os óculos procura,
...Tendo-os na ponta do nariz!"
"DO ESTILO

Fere de leve a frase... E esquece... Nada
convém que se repita...
Só em linguagem amorosa agrada
...A mesma coisa cem mil vezes dita."

"DOS NOSSOS MALES

A nós nos bastem nossos próprios ais,
Que a ninguém sua cruz é pequenina.
Por pior que seja a situação da China,
Os nossos calos doem muito mais..."

"DAS UTOPIAS

Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las!
Que tristes os caminhos, se não fora
...A presença distante das estrelas!"
  "DA ETERNA PROCURA

Só o desejo inquieto, que não passa,
Faz o encanto da coisa desejada...
E terminamos desdenhando a caça
Pela doida aventura da caçada."

"DO SABOR DAS COISAS

Por mais raro que seja, ou mais antigo,
Só um vinho é deveras excelente:
Aquele que tu bebes calmamente
Com teu mais velho e silencioso amigo..."
"DO EXERCÍCIO DA FILOSOFIA

Como o burrico mourejando à nora,
A mente humana sempre as mesmas voltas dá...
Tolice alguma nos ocorrerá
Que não a tenha dito um sábio grego outrora..."

"DA AMIZADE ENTRE MULHERES

Dizem-se amigas... Beijam-se... Mas qual!
Haverá quem nisso creia?
Salvo se uma das duas, por sinal,
For muito velha, ou muito feia..."
"DA DISCRIÇÃO

Não te abras com teu amigo
Que ele um outro amigo tem.
E o amigo de teu amigo
Possui amigos também..."
"DA CALÚNIA

Sorri com tranquilidade
Quando alguém te calunia,
Quem sabe o que não seria
Se ele disesse a verdade..."
"DA PRÓPRIA OBRA

Exalça o Remendãi seu trabalho de esteta...
Mestre Alfaiate gaba o seu corte ao freguês...
Por que motivo só não pode o Poeta
Elogiar o que fez?"
"DO MAL DA VELHICE

Chega a velhice um dia... E a gente ainda pensa
Que vive... E adora mais a vida!
Como o enfermo que em vez de dar combate à doença
Busca torná-la ainda mais comprida."
"DA EXPERIÊNCIA

A experiência de nada serve à gente.
É um médico tardio, distraído:
Põe-se a forjar receitas quando o doente
Já está perdido..."
"DA CRIAÇÃO HUMANA

Se variam na casca, idêntico é o miolo,
Julguem-se embora de diversa trama:
Ninguém mais se parece a um verdadeiro tolo
Que o mais sutil dos sábios quando ama."
"Que importa - se - depois de tudo tenha "ela" partido, casado, mudado, sumido, esquecido, enganado, ou que quer que te haja feito, em suma?
Tiveste uma parte da sua vida que foi só tua e, esta, ela jamais  a poderá passar de ti para ninguém."

Um comentário:

Carla disse...

Ola, quilida!
Tava sumida daqui, né?
É que tinha perdido todos os meus links do blog, só conseguindo recuperá-los hj!
Adoro Quintana!
Bjo.