domingo, 7 de novembro de 2010

Cosumismo para se obter a felicidade


Bolsa de Grife

Comprei uma bolsa de grife
Mas ouçam que cara de pau
Ela disse que ia me dar amor
Acreditei que horror
Ela disse que ia me curar a gripe
Desconfiei mas comprei
Comprei a bolsa cara pra me curar do mal
Ela disse que me curava o fogo
Achei que era normal
Ela disse que gritava e pedia socorro
Achei natural

Ainda tenho a angustia e a sede
A solidão, a gripe e a dor
E a sensação de muita tolice
Nas prestações que eu pago
Pela tal bolsa de grife

Nem pensei
Impulso
Pra sanar um momento
Silenciar barulhos
Me esqueci de respirar

Um, dois, três
Eu paro
Hoje sei que tenho tudo
Será?
Escrevi em meu colar
Dentro há o que procuro

Meu amigo comprou um carro para se curar do mal

(Vanessa da Mata)

Nenhum comentário: