sábado, 3 de maio de 2008

Poesia mesmo que só por vaidade...


A poesia está esparramada

pelas ruas, conversas, por aí

Ora gritando, ora calada

Tropeçando nos anúncios que vi

A quem diga que versejar

é fruto de gente preguiçosa

Não entendem que para criar

é preciso de uma atitude ociosa

O pensamento voa incontido num estalo,

Vem a idéia e o olho arregalado

Dedos rápidos no teclado,

No monitor o resultado

Agrada um pouco, a vaidade estampada

No Myspace, no Orkut, no Blog

A poesia em segundos globalizada

Emociona, reflete ou legenda o Fotolog

Com ou sem contexto literário

As palavras precisam da poesia para a liberdade,

Abstendo-se de honorário

Numa onda de amor, fúria e criatividade.



Nota da autora: Escreva sempre, que se danem as críticas! Não deixe de se expressar nunca! Esse ainda é um direito que você tem, use esse direito para ser feliz! E leia, lei mais, muito mais!


(Alexandra Periard)

Rio de Janeiro, 03 de maio de 2008.

Um comentário:

SURREAL MENTE disse...

FANTÁSTICO!! QUISERA EU TER SEU DOM!!!!!
bJUSSSS