sexta-feira, 14 de março de 2008

Arritmia

Vivo em uma casa de bonecas
Sem cortina na janela
Livros dentro caixas lacradas
Roupas finas e rotas amarrotadas

O vento passeia pela calçada
E levanta as folhas da paisagem verde
Eu me tranco nessas quatro paredes
cinza, arritmia,vista cansada

Trabalho em uma ilha
Repito palavras pré-fabricadas
Ao redor a inútil matilha
Impáfia assalariada

Quando poderei quebrar as bonecas?
E dilacerar meus fantasmas?

Nenhum comentário: