quinta-feira, 11 de outubro de 2007

A sua ausência é toda minha

É diferente e estranho
passo o dia pensando em várias coisas,
no meu cotidiano cheio de tédio
esqueço de vc...
Mas ao te atender no telefone,
as palavras pulam de minha boca em declarações comprometedoras
e "tiradas" perigosamente sem graça e piegas, que desembocam no lugar comum
e um nó estranho surge,
e assim sinto quente, salgada e rápida
a lágrima descer pelo rosto e cair dentro da orelha

Chorando ao telefone,
respirando baixo pra vc não ouvir
pra vc não perceber que minha voz está diferente
e perguntar...
perguntar se estou triste,
o motivo (é vc)
a causa (é vc)
o porque (é vc)
e falar pra eu ficar bem (sem vc)
e dizer aquela mentirinha: que tudo vai dar certo,
que o tempo cura, a dor, a saudade e apaga o sentimento, o desejo e as explectativas

Não venha me perguntar se estou triste,
pois o motivo, a causa, o porque, a responsabilidade
é toda minha.

(Alexandra Periard)

Um comentário:

SAMANTHA ABREU disse...

lindo texto.
aliás, a responsabilidade sempre é nossa, não é?!

beijos!