domingo, 17 de junho de 2007

" Enquanto não durmo"


Enquanto chove lá fora
Mentiras escorrem pela calçada
E o cinismo tenta agora
Entrar em minha casa

O rádio grita sons diversos
Eu em murmúrios desconexos
Meu reflexo no espelho perdulário
Personagem com sorriso de otário

Frases de efeito ressoam pelo quarto
Rebatem na parede repetida
Monólogo rarefeito sem impacto
O rótulo feito e a verdade preterida.

(Alexandra Periard)

Nenhum comentário: